Destaques :

Espírito Santo inova no sistema de informações turísticas com o uso de QR Code

Qualifica ES Turismo capacita Policia Militar para atendimento ao turista

Espírito Santo tem participação expressiva na Abav Expo Internacional de Turismo 2019

Cidade de Antônio Prado tem tudo para competir em Turismo na Serra Gaúcha

Hotéis sorteiam diárias para o segundo semestre nas montanhas

Destinos e atrativos nacionais à distância de alguns cliques

Salário de funcionários de pequenas e médias empresas será financiado pelo governo

COVID-19 – Malha aérea essencial começa no sábado (28)

Ministérios do Turismo e da Justiça e Segurança Pública tratam de remarcação de viagens e direitos dos turistas

Coronavírus: bancos e fintechs prometem suspender dívidas de estabelecimentos

Comunicado Oficial da Comissão Organizadora da Festa da Penha

Ruínas do Sítio Histórico da Igreja de São José do Queimado: museu a céu aberto no Município de Serra

Divulgada programação da Festa de Nossa Senhora da Penha

Governo lança nota interministerial para orientar consumidor

Espírito Santo comemora Dia Nacional do Imigrante Italiano no Brasil

Reunião Extraordinária do Conselho Nacional de Turismo debate Coronavírus

Aeroportos de Vitória, Curitiba, Campinas e Brasília ganham prêmio de melhores do país

MTur discute novos critérios para atualização do Mapa do Turismo

Carnaval 2020: primeiro dia com muito samba e show de Sandra de Sá

Embratur e Fornatur alinham estratégia de promoção

MTur apoia festas de Carnaval em diversos estados brasileiros

Pavilhão de Carapina conta com eventos agendados até 2021

Organização Mundial de Turismo e Centro de Culinária Basca lançam 2º Concurso de Turismo de Gastronomia

Brasil e Emirados Árabes fortalecem relação para atração de turistas

Carnaval: 100 mil turistas devem desembarcar de cruzeiros no Rio de Janeiro

Entrada de turistas dos EUA, Canadá e Austrália no Brasil cresce 16% após isenção de visto

Carnaval deve movimentar R$ 8 bilhões no setor turístico

31ª Sommerfest começa em Domingos Martins e será solidária às vítimas das chuvas

Setur faz levantamento para recuperação de atrativos turísticos em cidades atingidas pelas chuvas

Em ação inédita, Embratur busca nos EUA investimentos para o turismo náutico no Brasil

Carnaval de Vitória 2020: veja a programação completa

Turistas e capixabas já podem compartilhar Ilustrações dos pontos turísticos do ES

Pesquisa no Réveillon mostra que 96,3% dos entrevistados recomendam o ES

MASP bate recorde de visitação em 2019

ES apresenta indicadores sobre a economia do turismo e do Réveillon capixaba

Sudeste é a principal escolha no verão para maioria dos turistas do Norte do país

Vivalá oferece Turismo aliado a participação voluntária em locais paradisíacos do Brasil

Nova empresa low cost anuncia voos internacionais para o Brasil

Com expectativa de mais turistas, aeroportos se prepararam para alta temporada

Turistas pela primeira vez no ES deslumbrados com belezas de Vitória e Vila Velha

Grupo Zurich inicia operação do Aeroporto de Vitória

Secretaria de Turismo faz pesquisa de demanda turística durante Ano Novo e Verão

Região Nordeste: Empresários da hotelaria estão otimistas com gastos de turistas no verão

Turismo de observação de baleias na costa capixaba faz sucesso em 2019

Museu em Santa Teresa apresenta vida e obra de Augusto Ruschi, Patrono da Ecologia

Brasil registra 27% de crescimento nas buscas globais por viagens para 2020

Aplicativo Angels facilita ato de doações para instituições de assistência social

Setor hoteleiro tem perspectiva de aumento na geração de emprego em 2020

Projeto para reformar Sítio Histórico da Prainha valoriza a natureza, memória, mobilidade…

Evento nacional promove o agroturismo capixaba

Enbrav 2019 Serra Gaúcha exibe atrativos diferenciados a agentes de viagem do Brasil

Cidade de Montevidéu trabalha para aumentar fluxo de Turistas brasileiros

Estado do Espírito Santo destaca-se entre as quase três mil marcas da Festuris 2019

Meeting FESTURIS 2019: Embratur aponta ecoturismo como o futuro do setor

Embratur negocia aumento de voos entre Catar e Brasil

Tarifário Turístico é tema de capacitação na região das Montanhas Capixabas

Restaurantes de Manguinhos lançam cardápio de verão nesta sexta-feira, 15 de novembro

Conheça o Espírito Santo

Receita de Mocotó

Dia da Moqueca capixaba é celebrado nesta quarta (30)

Espírito Santo comemora Dia Nacional do Imigrante Italiano no Brasil

Por João Zuccaratto*

Em 21 de fevereiro de 1874, a terra capixaba recebeu 386 trentinos e vênetos, após 45 dias de viagem a bordo do navio de bandeira francesa, movido a velas, La Sofia. Eles vieram para o País com promessas de posse de terra. Mas, chegados aqui, perceberam ter sido enganados pelo empreendedor italiano Pietro Tabacchi.

Italianos pagariam a terra comtoras de Jacarandá

Lei federal de 2008 instituiu 21 de fevereiro com o Dia Nacional do Imigrante Italiano no Brasil. Essa data foi escolhida por marcar a chegada da primeira imigração em massa daquela etniapara nosso País. Isso, após árduas e extensas pesquisas, documentação e comprovação do ocorrido.

Na oportunidade, em 1874, desembarcaram no Estado do Espírito Santo 386 trentinos e vênetos após 45 dias de viagem a bordo do navio de bandeira francesa, movido a velas, La Sofia. Todos haviam embarcado dia 3 de janeiro, na Cidade de Gênova, localizada na costa Noroeste da Itália.

Eles deixaram a terra natal convencidos por promessas de outro italiano, o empreendedor Pietro Tabacchi, dono de terras no, então,Município de Santa Cruz, atual Município de Aracruz, situado na costa Nordeste do território capixaba. Sua propriedade era batizada como Monte delle Palme.

Em 21 de fevereiro de 1874, desembarcaram no Estado do Espírito Santo 386 trentinos e vênetos após 45 dias de viagem a bordo do navio de bandeira francesa, movido a velas, La Sofia. Todos haviam embarcado dia 3 de janeiro, na Cidade de Gênova, localizada na costa Noroeste da Itália

Pietro Tabacchi prometeu 12 hectares para cada família

Pietro Tabacchi chegou à região em 1851, atraído pelas possibilidades de progresso do local. Em busca de dinamizar seus investimentos, aproveitou visita do imperador dom Pedro II, em 1860, e iniciou tratativas com o Governo para contratar grande quantidade de trabalhadores pela Europa.

Após longas negociações, em 1873, obteve permissão para trazer 70 famílias do Tirol, situado ao Norte da Itália. Eles iriam povoar e trabalhar na, agora, Colônia Nova Trento. Para convencê-los a deixar a terra natal e abandonar os parentes, ofereceu condições vantajosas, postas em contrato.

Cada família receberia um lote com 12 hectares de área a preço bem favorável. Para quitar, era só desmatar o terreno, entregando toras de madeira. No acerto com o Governo, Pietro Tabacchi tinha direito de exportar 3,5 mil peças de Jacarandá, madeira de alto valor, abundante por toda a região.

Cada família receberia um lote com 12 hectares de área a preço bem favorável. Para quitar, era só desmatar o terreno, entregando toras de madeira. No acerto com o Governo, Pietro Tabacchi tinha direito de exportar 3,5 mil peças de Jacarandá, madeira de alto valor, abundante por toda a região

45 dias de viagem, 10 de quarentena, horas a pé

Após cumprir uma quarentena de 10 dias na Cidade de Vitória, a capital do Estado, toda a turma foi reembarcada no Nossa Senhora da Penha, um patacho, antigo tipo de barco com dois mastros: o da proa sustentava uma vela redonda; o de ré, uma triangular, mais conhecida como vela latina.

Depois de algumas horas de viagem, a embarcação adentrou pelo Rio Piraqueaçu e, avançando quilômetro a quilômetros, lentamente, contra correnteza, chegou a um porto improvisado. Todos saltaram, carregando os poucos pertences, notadamente ferramentas e utensílios de uso agrícola.

Dali, partiram rumo ao destino tão sonhado: faltava apenas uma caminhada de seis horas, a pé, por trilhas em meio a densa aglomeração de árvores formada por espécies desconhecidas por eles. Eram árvores da Mata Atlântica, a floresta mais rica em variedades já existente na face da Terra.

Deixando as margens do Rio Piraqueaçu, partiram rumo ao destino sonhado, numa caminhada de seis horas, a pé, por trilhas em meio à aglomeração de espéciescompletamente desconhecidas por eles. Eram árvores da Mata Atlântica, a floresta mais rica em variedades já existente pela Terra

Revolta, abandono e caminhada pela mata

Foi só cruzar os limites da Colônia Nova Trento para perceber terem sido enganados por Pietro Tabacchi. Em vez de encaminhar cada família para o pequeno torrão tão sonhado, todos foram amontoados num galpão, obrigando desconhecidos a dividirem mesmo espaço, sem privacidade.

Diante da revolta dos imigrantes, Pedro Tabacchi imaginou forçá-los a aceitar a situação, pois, em suas palavras, “eles não tinham como voltar para a Itália, além de estarem devendo a ele.” Foi o estopim para a revolta: unidos, colocaram fogo nas instalações e abandonaram a propriedade.

Embrenharam-se pelo mato, direção Sul — quem sabe, imaginando alcançar a Cidade de Vitória e, de lá, tentar retornar à Europa. Não demorou, encontraram sinais de colonização, junto à Vila do Pau Gigante — melhor ainda, Ibiraçu, na língua tupi, atual nome do Município ali instalado.

Deixando as terras de Pietro Tabacchi, embrenharam-se no mato, direção Sul — quem sabe, imaginando alcançar a Cidade de Vitória e, de lá, tentar retornar à Europa. Logo, encontraram a Vila do Pau Gigante — melhor,Ibiraçu, na língua tupi, atual nome do Município ali instalado

Primeira cidade fundada por imigrantes italianos

Uma boa parte ficou por ali mesmo, trabalhando como empregados ou tentando a sorte em terras sem dono. Outra, diante da cadeia de montes à direita, escalaram os morros, buscando locais com temperaturas bem mais amenas. No alto, deparando com um belo vale, por ali se estabeleceram.

Em pouco tempo, ergueram uma pequena vila, origem comprovada do primeiro núcleo urbano fundado pelos imigrantes italianos em solo brasileiro. Trata-se da bela Cidade de Santa Teresa, hoje um dos ícones na atração de turistas da Região de Montanhas do Estado do Espírito Santo.

Sua data oficial de fundação é 26 de junho de 1875. Ou seja: anterior à chegada dos imigrantes vindos ao Brasil pelos projetos oficiais de colonização, dinamizados durante os últimos anos do século XIX, atraindo para cá dezenas de milhares de europeus: alemães, italianos, pomeranos…

Em pouco tempo, ergueram uma pequena vila, origem comprovada do primeiro núcleo urbano fundado pelos imigrantes italianos em solo brasileiro. Trata-se da bela Cidade de Santa Teresa, hoje um dos ícones na atração de turistas da Região de Montanhas do Estado do Espírito Sant

Mão de obra para fazendas, povoação de áreas ermas

Com a iniciativa, o Governo do Império atendia os objetivos de conseguir mão de obra para as fazendas de café no Estado de São Paulo e povoarimensas áreas ermas do Estado do Paraná, Estado de Santa Catarina e Estado do Rio Grande do Sul, além do Estado do Espírito Santo.

Logo, este último recebe duas levas, pelo navio Rivadávia, em 1875, e Colúmbia, 1877. Assim, o presidente da então Província do Espírito Santo, Abreu Lima, organiza os assentamentos, criando o Núcleo Colonial Santa Cruz, próximo ao Rio Piraqueaçu e terras do já falecido Pietro Tabacchi.

Para administrar o processo, é nomeado, como diretor, o general Aristides Guaraná. Recebendo mais e mais imigrantes, as famílias vão ocupando novos espaços. O movimento das pessoas leva ao surgimento de pequenas aglomerações urbanas, mais tarde transformadas em vilas e distritos.

A iniciativa do Governo do Império, de buscar imigrantes atendia dois objetivos: mão de obra para fazendas de café no Estado de São Paulo e povoar imensas áreas ermas do Estado do Paraná, Estado de Santa Catarina e Estado do Rio Grande do Sul, além do Estado do Espírito Santo

Maior número de descendentes italianos na população

Com a instalação da linha de telégrafo entre a Cidade de Vitória, ao Sul, e a Cidade de Linhares, ao Norte, aflora a Vila do Ribeirão, situada a Oeste do território do, atual, Município de Aracruz, estando, hoje às margens da BR 101 e próxima de um ramal da Estrada de Ferro Vitória-Minas.

Em 1911, é elevada a Distrito de Guaraná, em homenagem ao diretor do Núcleo de colonização. E, atravessando o século XX, anos 1900, adentra o século XXI, anos 2000, como a povoação com maior concentração de descendentes de imigrantes italianos no Estado do Espírito Santo.

Testemunhos dessa trajetória estão expressos numa instalação e num evento. A primeira é a Casa de Cultura Angélica Pandolfi, conhecida por Museu Italiano. Ocupando prédio erguido no início do século XX, onde funcionou uma escola, foi montado com pertences doados pela comunidade.

Tendo por objetivo preservar a história local para futuras gerações, retrata costumes e tradições dos imigrantes italianos através de móveis, vestimentas, peças de decoração, enfeites, utensílios domésticos, fogão a lenha, forno a lenha, instalações sanitárias, implementos usados na lavoura…

A segunda é a Festa do Imigrante Italiano de Aracruz Itália Unita, realizada no mês de julho, com programação diversificada: ornamentação das fachadas das residências, missa católica celebrada em italiano, apresentação danças folclóricas, desfile de carros alegóricos e muita culinária típica.

Muitos testemunhos da história do Distrito de Guaraná estão expressos na bela Casa de Cultura Angélica Pandolfi, conhecida por Museu Italiano. Ocupando prédio erguido no início do século XX, no qual funcionou uma escola infantil, foi montado com pertences doados pela comunidade

Comemoração teve desfile, homenagens, música…

No último dia 28 de fevereiro, o Distrito de Guaraná sediou as comemorações relacionadas ao Dia Nacional do Imigrante Italiano referente a 2020. O evento atraiu grupos representativos desta etnia de diversos pontos do Estado do Espírito Santo, reunidos para festejar e fazer homenagens.

Após desfile pelas ruas, representando a chegada do barco La Sofia, seguida por uma cerimônia oficial e diversas apresentações de grupos de danças folclóricas. Ao final, todos os presentes puderam degustar delícias da culinária italiana, como o saboroso capeletti do Distrito de Guaraná.

Além da entrega de publicações abordando a temática da imigração italiana em terras capixabas aos órgãos de Cultura e História do Município de Aracruz, descendentes receberam documentos oficiais atestando a chegada dos seus ascendentes, inclusive do empreendedor Pietro Tabacchi.

Também foram lembrados os 75 anos da vitória na Batalha de Monte Castelo, na Segunda Guerra Mundial, uma conquista da Força Expedicionária Brasileira — FEB na Itália. Dentre milhares de combatentes enviados à Europa naquela oportunidade, dois nasceram no Município de Aracruz.

Um deles, já falecido, é o segundo-tenente Affonso Fracalossi, sendo representado pelo seu filho Luiz Antônio Fracalossi. O outro é o também segundo-tenente Altivo Vêdova. Ele emocionou a todos com sua presença na cerimônia, mostrando-se “altivo”, lúcido, nos seus 100 anos de idade.

Um dos homenageados pelos 75 anos da vitória na Batalha de Monte Castelo foi o segundo-tenente Altivo Vêdova. O ex-combatente da Força Expedicionária Brasileira — FEB emocionou a todos presentes na cerimônia, mostrando-se “altivo”, lúcido, nos seus 100 anos de idade

Mais imagens da comemoração no Distrito de Guaraná

*João Zuccaratto é Jornalista especializado em turismo sediado na cidade de Vitória – ES / (27) 9-8112-6920

Ler anterior

Reunião Extraordinária do Conselho Nacional de Turismo debate Coronavírus

Ler próximo

Governo lança nota interministerial para orientar consumidor

One Comment

  • Linda a história dós imigrantes italianos, emocionante, mas linda, para ser alguém temos nossos desafios e lutas, mas os que não desistem vitória na certa!!

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais popular

Follow On Instagram