Destaques :

Espírito Santo inova no sistema de informações turísticas com o uso de QR Code

Qualifica ES Turismo capacita Policia Militar para atendimento ao turista

Espírito Santo tem participação expressiva na Abav Expo Internacional de Turismo 2019

Queimado recebe menção honrosa em importante prêmio do IPHAN

Secretaria de Turismo lança e-book Verão Seguro

Dólar em alta e Covid-19 aquecem busca por hotéis no Brasil

Setur premia classificados no edital para guias de turismo

MTur discute retomada do setor de Turismo com secretários estaduais

Temporada de baleias jubarte em 2020 confirma recuperação da espécie no Brasil

Guarapari receberá voos diretos de Belo Horizonte em dezembro e janeiro próximos

Maratona de Aventura em Pedra Azul consolida retomada do turismo no Espírito Santo

Começa edição capixaba do Janelas CASACOR

Tubarões Museu reabre para o público em Fernando de Noronha

“O setor hoteleiro tem papel fundamental nesta retomada”, afirma ministro do Turismo durante Conotel

60% dos brasileiros consideram protocolos sanitários fundamentais em viagens, aponta pesquisa

Vitória inaugura temporada do Janelas CASACOR

MTur e DNOCS discutem reaproveitamento turístico de imóveis públicos

Itália endurece restrições para conter alta da covid-19

MTur apresenta ações para a retomada do turismo a interlocutores do PRT

ABAV Collab encerra jornada virtual inédita com perto de 20 mil visitações

MTur vai criar TV Turismo para qualificar e capacitar profissionais do setor

Agências de viagens ABAV reúnem-se em plataforma virtual com mais de 300 ofertas

Na abertura do ABAV Collab, em Salvador, líderes de entidades e empresários celebram o Dia Mundial do Turismo

Conheça os 10 finalistas do 1º Desafio Brasileiro de Inovação em Turismo

Comunidade Global unida para celebrar o Dia Mundial do Turismo de 2020 em torno do turismo e do desenvolvimento Rural

Algumas curiosidades interessantes sobre origem histórica do moderno idioma Italiano

Organizadores confirmam Festuris 2020 de forma presencial para 5 a 8 de novembro

20 mil empreendimentos e guias de turismo já possuem Selo Turismo Responsável

Marcas nacionais e internacionais confirmam participação no ABAV Collab

Passeios para observação de baleias são retomados no Espírito Santo

Castelhanos, em Anchieta, promove 4º Festival da Moqueca Capixaba on-line

MTur apoia retomada de eventos turísticos e culturais no Distrito Federal

Festival de Gastronomia Senac: um duelo das moquecas baiana e capixaba

Rede Brasileira de Trilhas cria site com informações sobre percursos para visitação

Mobilidade em novos tempos de infecção e afastamento social

Ministério do Turismo divulga valores para apoiar cultura nos estados e Distrito Federal

Produtores de conteúdo de viagem se unem para lançar e-book

Vídeos de guiamento em pontos turísticos do Espírito Santo serão premiados

Agroturismo e restaurantes das montanhas preparados para atender clientes

Sai novo edital para gestão e restauração do Cais do Hidroavião

Movimento Supera Turismo realiza Webinar com expoentes que comandaram a Embratur

Coreto Digital é exemplo de criatividade nas inovações urbanas da Cidade de Curitiba

Carnaval de Congo de Máscaras e João Bananeira tornam-se Patrimônios Imateriais do Município de Cariacica

Selo Turismo Responsável já foi solicitado por 8 mil prestadores de serviços turísticos

3º Festival de Cinema de Santa Teresa

Aeroporto de Vitória amplia opções de voos a partir desta semana

Turismo da Serra Gaúcha ainda melhor com o Wyndham Gramado Termas Resort & Spa

Visitar cidades turísticas “em tempo real” é opção durante isolamento social

Programa de Regionalização do Turismo é tema de videoconferência

Troca de doações por cerveja? Sucesso em solidariedade, na bela Cidade de Gramado

Setur e IJSN divulgam resultados da Economia do Turismo capixaba para o primeiro trimestre de 2020

OMT lança diretrizes globais para a reabertura do turismo

Senac lança observatório gastronômico online para fortalecer a Gastronomia Regional

Setur participa da elaboração do plano de retomada do turismo nas Montanhas Capixabas

Gramado na Caixa comercializa produtos de Turismo em sistema de assinatura mensal

Projeto usa atividade lúdica para mostrar importância da preservação do patrimônio histórico

18ª Semana Nacional de Museus começa nessa segunda-feira

Lives com atrações culturais celebram o Dia Internacional da Língua Portuguesa

Ícone mundial, capital de todos os brasileiros chega aos 60 anos!

#RezeEmCasa: confira a programação da Festa da Penha Interativa

Auxílio emergencial já pode ser solicitado por informais e microempreendedores

Triider facilita e moderniza a contratação de prestadores qualificados

Imagem iluminada de Nossa Senhora é inaugurada na Praça do Papa

Cidade de Antônio Prado tem tudo para competir em Turismo na Serra Gaúcha

Hotéis sorteiam diárias para o segundo semestre nas montanhas

Destinos e atrativos nacionais à distância de alguns cliques

Salário de funcionários de pequenas e médias empresas será financiado pelo governo

COVID-19 – Malha aérea essencial começa no sábado (28)

Ministérios do Turismo e da Justiça e Segurança Pública tratam de remarcação de viagens e direitos dos turistas

Coronavírus: bancos e fintechs prometem suspender dívidas de estabelecimentos

Comunicado Oficial da Comissão Organizadora da Festa da Penha

Ruínas do Sítio Histórico da Igreja de São José do Queimado: museu a céu aberto no Município de Serra

Divulgada programação da Festa de Nossa Senhora da Penha

Governo lança nota interministerial para orientar consumidor

Espírito Santo comemora Dia Nacional do Imigrante Italiano no Brasil

Reunião Extraordinária do Conselho Nacional de Turismo debate Coronavírus

Aeroportos de Vitória, Curitiba, Campinas e Brasília ganham prêmio de melhores do país

MTur discute novos critérios para atualização do Mapa do Turismo

Carnaval 2020: primeiro dia com muito samba e show de Sandra de Sá

Embratur e Fornatur alinham estratégia de promoção

MTur apoia festas de Carnaval em diversos estados brasileiros

Pavilhão de Carapina conta com eventos agendados até 2021

Organização Mundial de Turismo e Centro de Culinária Basca lançam 2º Concurso de Turismo de Gastronomia

Brasil e Emirados Árabes fortalecem relação para atração de turistas

Carnaval: 100 mil turistas devem desembarcar de cruzeiros no Rio de Janeiro

Entrada de turistas dos EUA, Canadá e Austrália no Brasil cresce 16% após isenção de visto

Carnaval deve movimentar R$ 8 bilhões no setor turístico

31ª Sommerfest começa em Domingos Martins e será solidária às vítimas das chuvas

Setur faz levantamento para recuperação de atrativos turísticos em cidades atingidas pelas chuvas

Em ação inédita, Embratur busca nos EUA investimentos para o turismo náutico no Brasil

Carnaval de Vitória 2020: veja a programação completa

Turistas e capixabas já podem compartilhar Ilustrações dos pontos turísticos do ES

Pesquisa no Réveillon mostra que 96,3% dos entrevistados recomendam o ES

MASP bate recorde de visitação em 2019

ES apresenta indicadores sobre a economia do turismo e do Réveillon capixaba

Sudeste é a principal escolha no verão para maioria dos turistas do Norte do país

Vivalá oferece Turismo aliado a participação voluntária em locais paradisíacos do Brasil

Nova empresa low cost anuncia voos internacionais para o Brasil

Com expectativa de mais turistas, aeroportos se prepararam para alta temporada

Turistas pela primeira vez no ES deslumbrados com belezas de Vitória e Vila Velha

Grupo Zurich inicia operação do Aeroporto de Vitória

Secretaria de Turismo faz pesquisa de demanda turística durante Ano Novo e Verão

Região Nordeste: Empresários da hotelaria estão otimistas com gastos de turistas no verão

Turismo de observação de baleias na costa capixaba faz sucesso em 2019

Museu em Santa Teresa apresenta vida e obra de Augusto Ruschi, Patrono da Ecologia

Brasil registra 27% de crescimento nas buscas globais por viagens para 2020

Aplicativo Angels facilita ato de doações para instituições de assistência social

Setor hoteleiro tem perspectiva de aumento na geração de emprego em 2020

Projeto para reformar Sítio Histórico da Prainha valoriza a natureza, memória, mobilidade…

Evento nacional promove o agroturismo capixaba

Enbrav 2019 Serra Gaúcha exibe atrativos diferenciados a agentes de viagem do Brasil

Cidade de Montevidéu trabalha para aumentar fluxo de Turistas brasileiros

Estado do Espírito Santo destaca-se entre as quase três mil marcas da Festuris 2019

Meeting FESTURIS 2019: Embratur aponta ecoturismo como o futuro do setor

Embratur negocia aumento de voos entre Catar e Brasil

Tarifário Turístico é tema de capacitação na região das Montanhas Capixabas

Restaurantes de Manguinhos lançam cardápio de verão nesta sexta-feira, 15 de novembro

Conheça o Espírito Santo

Receita de Mocotó

Dia da Moqueca capixaba é celebrado nesta quarta (30)

Continuidade do artigo “Cidades vizinhas precisam se entender. Falta comunicação entre modais”.

Para quem não leu a Parte I: https://turismoeservicos.com.br/mobilidade-urbana/cidades-vizinhas-precisam-se-entender-falta-comunicacao-entre-modais/

Por Fabrício Faustini

Parte II

Durante as olimpíadas do Rio de Janeiro, quem visitou a cidade contou com um bilhete único que permitia acesso a todo sistema de transporte coletivo. Estas pessoas também se beneficiaram de uma ampla oferta de informações que facilitavam as conexões e o acesso aos locais de competição, distribuídos por diversos bairros da cidade. Terminados os jogos, porém, foi-se o bilhete único e sumiram as informações. Da integração entre os sistemas, BRT, ônibus, VLT e metrô, permaneceu a ligação física, mas não a operacional que tanto interessa e tem valor para o usuário.

Pouco serviria para moradores – os habitantes de um lugar – comprar um bilhete único caro e inviável. Para reverter o ciclo de queda do número de passageiros pagantes e o consequente aumento de tarifa enfrentado pelo sistema de ônibus no Brasil, será necessário contar com outras fontes de receita. Fora do Brasil, há cidades que oferecem um bom sistema integrado de transporte urbano que pode e deve ser inspirador.

A eficiência esperada precisa contemplar o limitado, mas muito valioso espaço público. Faz quase um século que o automóvel determina a maneira com que as cidades se expandem. Reflita. Será que isso está certo? Enquanto a motorização só aumenta, veículos privados, na maioria das vezes, não pagam um valor justo pelo grande espaço que ocupam e que consomem e pelo impacto negativo, na maioria das vezes, que geram. E mesmo assim os donos dos veículos repudiam as taxas.

Vagas gratuitas nas vias públicas que a maioria das pessoas espera estimulam o uso desnecessário do carro,atrapalham a circulação de quem anda a pé ou de bicicleta (maior parte das pessoas) e ainda reduzem a capacidade das vias. Deveriam gerar receita ou então deixar de existir, abrindo espaço para a priorização do transporte coletivo e do ativo, aquele praticado por pedestres e ciclistas. Cidades com o mínimo esperado de planejamento e organização já fizeram isso. Há outras que foram além e criaram mecanismos de cobrança de acordo com o impacto causado por quem insiste em circular de maneira individual e motorizada em áreas centrais de cidades, como Singapura, Estocomo e Londres.

Não há alternativa. Os gestores devem enfrentar isso. É uma de sua missões. Sem a cobrança pelos efeitos negativos de tantos veículos privados que circulam em cidades cada vez mais apertadas e limitadas não será possível justiça na distribuição de espaços públicos de circulação. A cobrança que parece ser negativa provoca benefícios como a fluidez no trânsito pela quantidade menor de veículos em circulação. Redução da poluição do ar local com menos emissões de poluentes pesados. E também aumento de receita que deve, necessariamente, ser investido na melhoria da qualidade do transporte coletivo, na diminuição de tarifas e, se possível, na sinalização urbana.

Há cidades que se planejam evitando o crescimento vertical (espraiamento). Um só empreendimento pode levar centenas, milhares de moradores para o mesmo local. Imagine o impacto direto provocado. Gestores pensam ou deveriam pensar suas ações de desenvolvimento a partir da consolidação de eixos de transporte coletivo. Estimulam a oferta de moradia, trabalho e serviços ao longo de corredores e utilizam, inclusive, e quando possível, mecanismos financeiros para valorizar a arrecadação para investimentos em sistemas de transporte que se sustentem.

As pessoas são obrigadas muitas vezes a perder uma ou duas horas no trânsito de muitas cidades. Às vezes três, quatro ou mais tempo, diariamente. É injusto, desumano, improdutivo e esta perda de tempo provoca doenças ou é improdutivo e ainda gera estresse. Os governantes, os gestores e técnicos precisam com compromisso e inteligência considerar soluções de curto prazo para problemas que se arrastam há muito mais tempo que deveria.

3ª Ponte que liga Vitória (capital) à Vila Velha na hora do rush.

Aumentar a qualidade de vida nos centros urbanos depende de incentivar a existência de mais áreas verdes e planejar o local aproximando empregos e serviços das residências. Necessário requalificar áreas urbanas, vazias ou degradadas reduzindo a exclusão social, encurtando distâncias e o custo da mobilidade entre habitações de baixa renda e centros urbanos. Ruas voltadas para automóveis precisam ser redesenhadas para as pessoas, favorecendo o comércio, os serviços e tudo aquilo que promova a convivência saudável, a harmonia o bem viver.

Não podemos esperar soluções mirabolantes, pois normalmente demandam investimentos gigantescos e dependem de muitos atores, vontade política e recursos de diversas fontes. Inovações incrementais devem levar às transformações. O transporte coletivo não pode “morrer” e este já é um risco planetário. Há soluções inovadores para a mobilidade. Gestores e operadores, mais do que nunca, devem saber lidar com as transformações. Ainda há um longo caminho para que a mobilidade contribua para a cidade. Porém, deve continuar sendo percorrido sem nunca parar.

Sem um espaço urbano distribuído de forma justa e que estimule o uso de bicicletas, as caminhadas, os passeio a pé, enfim, a contemplação, ainda lidaremos com mortes no trânsito, ar poluído e desigualdades. Cidades devem se apropriar da inovação e gerenciar seus impactos. É a hora dos responsáveis assumirem suas obrigações enquanto ainda há tempo para salvar a mobilidade, os deslocamentos e busca pelo destino de pessoas que somente querem ir ou voltar de um ponto a outro com pelo menos o mínimo de conforto, segurança e previsibilidade. É um direito com garantias. Precisa se consolidar efetivamente.

*Jornalista especializado em turismo e escreve semanalmente sobre mobilidade urbana e seus impactos no turismo e nas cidades.

Sugestões poderão ser enviadas para o zap (27) 99806-6007 ou pelo e-mail: fabriciofaustini@gmail.com

Ler anterior

Queimado recebe menção honrosa em importante prêmio do IPHAN

Ler próximo

A capacidade de adaptação – por Grazielle Reis

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Follow On Instagram